domingo, 28 de dezembro de 2014

O machismo feminino


Uma pesquisa divulgada no início do mês de dezembro comprovou o que nem precisava de pesquisa para se saber: a sociedade é machista, ou melhor, os homens são. De acordo com o estudo, mais da metade dos entrevistados (de ambos os sexos!), concordam com padrões comportamentais machistas.
Não vou me deter aqui nos já batidos e inescrupulosos clichês de que se usar roupa curta ou decotada a mulher está se oferecendo, ou ainda, sair à noite para se divertir com as amigas sem a companhia do namorado é imoral. Esses são argumentos ultrapassados, que não deveriam mais ter espaço no mundo dito civilizado do século XXI. Mas como vivemos em uma sociedade patriarcal...
Os números da pesquisa não chegam a surpreender, o que surpreende mesmo é o fato de muitas mulheres concordarem, e além do mais, disseminarem tais pensamentos, contribuindo assim para que a opressão masculina continue. O pior machismo é o feminino!
Mesmo que de forma velada, a sociedade apresenta valores e rituais extremamente machistas, que muitas mulheres adoram. Considerados como acontecimentos marcantes, são ansiosamente esperados por elas e tidos como inesquecíveis.
Quinze anos e casamento são dois bons exemplos de machismo feminino. No primeiro exemplo, o pai ao desfilar pelo salão com a filha no momento da valsa, mostra a todos o resultado do seu trabalho. E o protocolo destes eventos afirma que é a passagem da fase de menina para mulher. Quer dizer que agora ela está pronta os que tiverem interesse?!
Já o casamento religioso consiste em uma troca. Um homem, no caso o pai, entra com a filha na igreja e a entrega para outro homem, o noivo, como se ela fosse um objeto. Ou em outras palavras, de propriedade paterna, ela passa a ser propriedade do marido. Essa troca fica bastante explícita no casamento civil, onde geralmente a mulher permanece com seu último sobrenome (o do pai) e agrega o do marido no final. Não é à toa que as mulheres que se consideram independentes não pensam em casamento, pois juntar as escovas de dente já é mais do que suficiente para elas.
Ainda tem o caso daquelas garotas que chamam suas inimigas de putas, só para depreciá-las. O mais irônico disso é que estão reproduzindo exatamente os discursos machistas que tanto refutam. Talvez seja só birra de adolescente! Será?!
Bom, acho melhor parar por aqui, pois como não sou machista, terei que agüentar possíveis manifestações contrárias. Meninas, por favor, mostrem que estou errado, só não me mandem à “puta que pariu”!