terça-feira, 19 de junho de 2012

A Guerra Fria no futebol: Alemanha Oriental X Alemanha Ocidental na Copa de 1974

Você já imaginou uma partida da Copa do Mundo da FIFA que colocasse frente a frente Brasil contra Brasil, França contra França, ou Itália contra Itália? Provavelmente não, mas basta pensar nessa possibilidade para compreender a singularidade do jogo entre República Federal da Alemanha (Alemanha Ocidental) e República Democrática Alemã (Alemanha Oriental) disputado em Hamburgo no dia 22 de junho de 1974, válido pela primeira fase do Mundial.
Aquele foi o único confronto de todos os tempos entre os dois países separados depois da Segunda Guerra Mundial. A partida foi repleta de emoção e entrou para a história do futebol tanto pela sua importância política quanto pelo resultado surpreendente.
Tudo indicava que seria um duelo absolutamente explosivo. A tensão política que cercava o espetáculo era tanta que os jogadores não fizeram a tradicional troca de camisas em campo após o apito final. Paul Breitner só pediu para trocar de camisa com o autor do gol da vitória, Jürgen Sparwasser, quando ambos já estavam a caminho dos vestiários. Os souvenires ficaram esquecidos por 28 anos, até que os jogadores decidiram colocá-los à disposição por uma boa causa.
As expectativas
Na realidade, ambas as seleções já estavam classificadas para a fase seguinte, mas o "duelo de irmãos" valia a primeira colocação do Grupo 1 e, evidentemente, a glória de derrotar o país vizinho. A Alemanha Ocidental precisava apenas de um empate para se manter na liderança, já que havia vencido as suas duas partidas, contra Chile por 1 a 0 e Austrália por 3 a 0. Do outro lado, o selecionado comandado por Georg Buschner também fizera uma boa campanha. A equipe havia derrotado a Austrália por 2 a 0 e empatado com o Chile em 1 a 1.
Cerca de 60 mil espectadores, entre eles quase 1.500 cidadãos da Alemanha Oriental, lotaram o Volksparkstadion, em Hamburgo, para assistir ao primeiro e único embate da história entre as duas seleções. Não havia dúvidas de quem era o favorito. Do lado ocidental estavam os campeões europeus de 1972 e mundiais de 1954, enquanto a seleção vinda do leste fazia a sua estreia na Copa do Mundo da FIFA.
A partida
Desde o início, o confronto foi marcado por muito respeito de ambos os lados. Nenhuma das seleções queria sair de campo com a derrota, o que as motivou a fazerem de tudo para neutralizar o adversário. Foram raras as chances de gol, mas foi uma boa partida, com as duas equipes mostrando muita garra e determinação. O árbitro uruguaio Ramón Barreto Ruiz mostrou três cartões amarelos — todos para a Alemanha Oriental.
A única grande chance de gol para a RFA foi com o atacante Gerd Müller, que recebeu a bola de costas para o gol aos 39 minutos do primeiro tempo, girou sobre o seu marcador e acertou a trave. Do outro lado, Hans-Jürgen Kreische teve tudo para abrir o placar para a RDA após um cruzamento da esquerda, mas finalizou mal e mandou a bola por cima do gol de Sepp Maier.
Todos pensavam que a partida terminaria sem gols quando aconteceu o lance que surpreendeu o mundo. O goleiro da Alemanha Oriental, Jürgen Croy, agarrou uma cabeçada aos 32 do segundo tempo e rapidamente lançou para Erich Hamann, iniciando o ataque decisivo. O jogador, que havia entrado dez minutos antes, conduziu a bola sem ser incomodado por 30 metros pelo lado direito até que Franz Beckenbauer veio disputar a bola com ele. No entanto, o líbero não conseguiu impedir o lançamento de Hamann para a grande área.
Jürgen Sparwasser dominou a bola como conseguiu, usando a cabeça, o ombro e o peito. Os dois zagueiros, Berti Vogts e Horst-Dieter Höttges, ficaram para trás com a estranha manobra e Sparwasser aproveitou para marcar o sensacional gol da vitória do selecionado que estreava na Copa do Mundo da FIFA. Foi o primeiro gol que a Alemanha Ocidental sofreu depois de 481 minutos e também o único de Sparwasser no torneio.
O craque
Jürgen Sparwasser será para sempre lembrado pela sua atuação no duelo histórico em Hamburgo. O seu gol fez dele um dos esportistas mais conhecidos da Alemanha Oriental. Formado em engenharia mecânica, o jogador disputou 53 partidas pelo seu país, tendo balançado as redes 15 vezes. Na Expo 2000 em Hannover, foi erigido até mesmo um busto em homenagem ao atleta.
As reações
"Se quando eu morrer escreverem apenas 'Hamburgo 1974' na minha lápide, todos já saberão quem foi enterrado ali."
Jürgen Sparwasser, atacante da Alemanha Oriental
"O gol do Sparwasser nos acordou. Se não fosse aquilo, não teríamos sido campeões do mundo."
Franz Beckenbauer, capitão da Alemanha Ocidental
O que aconteceu depois?
A liderança do grupo conquistada com a vitória não foi necessariamente uma vantagem para a Alemanha Oriental. Na fase seguinte, a RDA caiu em um grupo muito difícil e foi eliminada depois de terminar apenas na terceira posição. A equipe do leste perdeu por 1 a 0 do Brasil, empatou em 1 a 1 com a Argentina e foi derrotada por 2 a 0 pela Holanda, que acabou ficando com a segunda colocação do torneio.
Já a Alemanha Ocidental venceu a Iugoslávia por 2 a 0, a Suécia por 4 a 2 e a Polônia por 1 a 0 e se classificou com folga para a final contra a Holanda. Apesar de ter entrado como azarão, o país, que já havia vencido a Copa do Mundo da FIFA 1954, derrotou os holandeses e se sagrou bicampeão mundial.
A participação em 1974 foi a única da Alemanha Oriental no maior evento esportivo do planeta, enquanto a Alemanha Ocidental se classificou para todos os torneios desde então e voltou a alcançar a maior consagração do futebol mundial na Itália 1990.
Melhores momentos dessa partida histórica
Fonte: fifa.com

Um comentário:

  1. Gostei muito do seu blog. Eu tb sou prof de História e tb uso blog nas minhas aulas. Dê uma olhadinha!
    http://www.profisabelaguiar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir