segunda-feira, 23 de abril de 2012

O Brasil antes de 1500: o Tratado de Tordesilhas

Durante o século XV, Portugal e Espanha, as maiores potências da época, desbravaram os oceanos em busca de expansão comercial. Com a tomada de Constantinopla pelos turcos, em 1453, a rota comercial terrestre entre a Europa Ocidental e a índia foi bloqueada. A partir disso, era necessário encontrar outro caminho para a busca das especiárias orientais.
Para isso, foi preciso se largar ao mar e desmistificar antigas lendas que afirmavam que monstros gigantes engoliam os marujos que se aventuravam pelas águas do Atlântico. Portugal então, passou a dominar a costa ocidental da África, fundando vários entrepostos comerciais no seu litoral. Assim, em 1498, o almirante português Vasco da Gama superou o Cabo da Boa Esperança, no sul do continente, e encontrou o caminho marítimo para as Índias. Dez anos antes, o também português Bartolomeu Dias foi o primeiro homem a contorná-lo.
A Espanha, por sua vez, precisou procurar um caminho alternativo para as Índias. Como o Atlântico Sul estava dominado pelos portugueses, resolveu seguir rumo ao poente, acreditando que conseguiria dar a volta ao mundo e chegar no Oriente. Tal ideia era difundida por Cristóvão Colombo, um italiano, que ofereceu seus serviços aos reis espanhóis, que sem muitas alternativas para concorrer com Portugal, acabaram aceitando.
O resto, todo mundo sabe: Colombo descobriu a América, mas morreu sem saber disso. Foi o navegador Américo Vespúcio, que posteriormente comprovou tratar-se de um novo continente.
A partir da descoberta, Portugal e Espanha travaram uma grande rivalidade pela disputa do Novo Mundo. Tanto é que precisou da intervenção do Papa Alexandre VI para resolver o imbróglio. Sim, naquele época, as questões territoriais eram resolvidas pelos religiosos, tamanho era o poder exercido pela Igreja Católica. 
Em 1493, Alexandre VI publicou uma Intercoetera (lê-se "Intercetera"), documento no qual estipulava a divisão das terras recém descobertas a partir de 100 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde. Portugal não aceitou tal acordo, pois a linha imaginária divisória passaria no meio do Oceano Atlântico. No ano seguinte, um novo acordo foi assinado entre Portugal e Espanha: o Tratado de Tordesilhas. Nele, as 100 léguas originais foram aumentadas para 370 léguas, o que foi aceito por ambas as coroas.
Enfim, o Tratado de Tordesilhas, assinado em 1494, ou seja, seis anos antes da "descoberta" do Brasil, evidencia claramente que os portugueses já sabiam da existência das terras brasileiras. E que o descobrimento não foi um mero acaso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.